segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Hoje Escrevo Eu

Um Instante do Olhar Feito de Momentos Vários

Foto de António Campos Leal.

  Muitas são as vezes que o Fotógrafo decide o registo de uma fotografia pelo estímulo dos contrastes. Pela luminosidade que o agride ou o faz sonhar Pelas linhas que se cruzam. No ser de uma imagem em que o visual é razão de registo. Já, quando é a leitura de ideias que dominam o processo de execução o fotógrafo acaba por registar pensamentos transpostos a partir de uma fotografia construída no que ele é.
Por esse trajecto de construção o fotógrafo é também capaz de desconstruir a representação de si mesmo..
Um espaço vazio. Nenhum humano representado. Nenhum animal que visualizado traga até nós a ideia de uma Terra habitada. Uma falta de definição dos elementos representados, como se um ambiente irrespirável tudo dominasse.
Nessa fuga a um Realismo exacerbado que se torna no não fotográfico pois a Luz é uma forma digital e não física. A utilização de uma velha técnica para ir ao encontro da dúvida de uma existência posta em causa.
E um caminho. Atravessando em diagonal a fotografia. Como se de longe viesse e para longe se dirigisse. Não trazendo qualquer certeza ao "de onde vimos? Para onde vamos?" a completa dúvida da origem e do destino.
A dúvida como certeza. Ou a certeza da eterna dúvida.
A luminosidade que se destaca no centro, sem ser tão intensa que nos leve ao divino, abre para uma sensação de retorno. Ou mesmo de um nascimento, como futuro que se deseja.
A falsa representação do visto. As interrogações perante o olhado. O sentido para lá do que nos chamou o olhar. Os momentos justapostos, de diferentes instantes de Luz a que o Tempo trouxe um não-instante. Tornando assim a representação última, de momentos vários, que se seguiram num momento do olhar e se dão a olhar como um único momento. Um único instante.







quarta-feira, 11 de julho de 2018

Um Olhar Sobre a Fotografia Estenopeica


A Fotografia  Estenopeica Revisitada: Desconstrução Da Homologia Tradicional Através Das Dimensões Sócio-Culturais 
Da Tecnologia



MARIA HELENA SABURIDO VILLAR



RESUMO 

   Este estudo propõe investigar e discutir o uso da câmera estenopeica por artistas e fotógrafos contemporâneos e a mediação que se estabelece entre eles e o processo envolvido no ato de fotografar com estes artefatos. Fotografia estenopeica, conhecida também como fotografia pinhole, é a terminologia adotada para definir imagens obtidas com câmeras de orifício - as objetivas das câmeras fotográficas tradicionais são substituídas por um pequeno furo. Partindo da premissa que o resgate do uso desta técnica, pelos artistas contemporâneos, se dá no sentido de questionar os padrões, rompendo com a homologia no processo da fotografia tradicional, entendida como o registro e reprodução “fiel” da realidade. Percebe-se que essas posturas revelam mais claramente a subjetividade e a presença do usuário – artista/fotógrafo - como construtor da representação. Por isso, optou-se por estudar a recente produção de imagens fotográficas estenopeicas, resultado da retomada da técnica por fotógrafos e artistas contemporâneos, porque, além de buscar novas opções expressivas de manifestação estética, esses artistas procuram questionar o meio e as determinações das “novas tecnologias” impostas pela indústria fotográfica. Para compreender essas posturas, foi preciso entender quais as principais características da fotografia estenopeica, e as possibilidades de intervenção criativa do artista, nas diferentes etapas de produção das imagens. A simplicidade da técnica e as múltiplas possibilidades de construção da câmera aproximam o fotógrafo do processo de realização da imagem, transformando as relações de tempo e de espaço representados, e questionando os conceitos da fotografia tradicional. Na medida em que subverte o padrão convencionalmente imposto ao aparato fotográfico, o artista tem condições de utilizar a fotografia estenopeica como forma de expressão alternativa e ferramenta de criação. A opção estética do artista se inicia no momento em que ele constrói sua câmera. Conclui-se que, a partir deste estudo, foi possível confirmar que, por meio da fotografia estenopeica, é possível questionar os padrões e perturbar a prática comum de constituição de imagens fotográficas, desconstruindo o conceito de homologia do processo da fotografia tradicional e, ao mesmo tempo, evidenciando as dimensões sócio-culturais da tecnologia.


############


   Um trabalho teórico, em torno da Fotografia Estenopeica e que proponho a sua leitura.



quarta-feira, 18 de abril de 2018

LA FOTOGRAFÍA COMO FUENTE DE SENTIDOS - Hugo José Suárez




Da apresentação

"Este libro tiene por objetivo analizar cómo la fotografía puede convertirse en un insumo fundamental para hacer investigación científica. Como es ampliamente difundido, la sociología pretende, en su formulación clásica, comprender y explicar las relaciones sociales. El enfoque de sociología de la cultura en el cual se inscribe de manear global la reflexión, considera al ser humano como productor de sentidos que quedan plasmados en las manifestaciones culturales. La fotografía es una de estas manifestaciones, por lo que en sus imágenes están reflejadas las estructuras más profundas que pueden guiar nuestra existencia"